Archive for the Devaneios Category

Posted in Devaneios on 14/junho/2016 by Ernesto de Souza

Ó tu, severo musgo, que cresces na parede do meu coração,

tão vazio de amor e tão cheio de solidão.

Posted in Devaneios on 6/novembro/2015 by Ernesto de Souza

“A inocência roubada,
mesmo devolvida,
volta estragada.”

Nenê Altro

Posted in Devaneios with tags , on 10/abril/2014 by Ernesto de Souza

Se é para fazer loucuras, que façamos juntos.

Posted in Devaneios with tags , , , , , , , , , , , , , , on 1/outubro/2013 by Ernesto de Souza

Aproveitou o momento, pediu uma caneta emprestada. Ela abriu o estojo de maquiagem e pegou um lápis.

De olho?

O lápis de olho e os guardanapos servirão.

Lembrar de nunca passar a limpo.

Sujeita a cobrança após o sinal…

Posted in Devaneios with tags , , , , , , , , , , on 30/setembro/2013 by Ernesto de Souza

Não ligue no dia seguinte.

Não ligue no dia depois do dia seguinte.

Não ligue.

Esqueça.

O telefone toca.

Brilho eterno.

Ligou para dar um oi, mas nega o convite.

Já com o telefone na mão disca o número.

Sua chamada está sendo encaminhada.

Sua vida está sendo encaminhada.

Não sei para onde, só sei que não tem volta.

Posted in Devaneios with tags , , , , , , on 27/setembro/2013 by Ernesto de Souza

Sensação eterna de frio na barriga.

Posted in Devaneios with tags , , , , , , on 18/setembro/2013 by Ernesto de Souza

Muitos goles da mesma bebida em um curto espaço de tempo, o estômago já começava a dar sinais de cansaço.

Olhou para o relógio, já não havia mais transporte coletivo, apenas algumas quadras até a sua casa, andar não seria um obstáculo.

Posted in Devaneios with tags , , , , , , , on 17/setembro/2013 by Ernesto de Souza

Ao sair do quarto, reparou ao lado da porta um cesto de lixo transbordando folhas de papel amassadas, pegou uma folha que estava fora do cesto, desamassou, leu, sorriu, dobrou carinhosamente, guardou no bolso de traz da calça jeans. Uma última lembrança.

Posted in Devaneios, Filmes with tags , , , , , , , , , on 31/maio/2013 by Ernesto de Souza

Me busque e me leve ao bosque.

Posted in Devaneios on 22/fevereiro/2013 by Ernesto de Souza

Coroa significa SIM, cara significa NÃO.

E assim ela roda pelos céus, e cai na palma de sua mão, várias e várias vezes.

Como se uma moeda fosse resolver seus problemas.